A guerra das resoluções

“O meu joga roda em 1080p e o seu não!”. O debate sobre as resoluções ganhou destaque nos sites especializados, fóruns de discussão e até nas redes sociais. Aqueles que jogam um game rodando em 720p ou 900p estão condenados por toda a eternidade. 1080p tornou-se o termo da moda. Vamos entender como a discussão começou, separar o mito da realidade e então olhar um pouco além do debate atual. Vamos lá?

Como toda a polêmica começou…

Toda essa polêmica envolvendo os dois consoles começou antes mesmo do lançamento oficial de ambos, no meio de 2013. A medida que os jogos eram anunciados a resolução nativa de cada versão era comparada. Assassin’s Creed 4 Black Flag que roda em 900p no Xbox One e 1080p no PS4 além de Call of Duty: Ghosts em 720p para o Xbox One e 1080p para o PS4 são dois dos jogos que alimentaram o debate.

O lançamento dos consoles somente confirmou essa tendência: os jogos de Xbox One, no geral, tinham uma maior dificuldade para alcançar a resolução nativa de 1080p e muitos vezes exibiam resolução inferior a versão equivalente de PS4. Até mesmo jogos exclusivos para o Xbox One, como Dead Rising 3 e Ryse: Son of Home, rodam em resoluções mais baixas do que 1080p (720p e 900p respectivamente). Pronto, era o que faltava para a discussão pegar fogo.

Xbox One e o 1080p

É claro que o Xbox One é capaz de alcançar a resolução de 1080p: jogos como Forza 5 e os multi-plataformas Need for Speed Rivals e Fifa 14 rodam em 1080p e a 60 quadros por segundo de forma nativa em ambas as plataformas. Mas pelo menos nesse inicio os jogos para o console da Microsoft parecem ter mais dificuldade para atingir tal resolução.

A resolução é definida pelo desenvolvedor. Dead Rising 3, por exemplo, foi desenvolvido pela Capcom para rodar em 720p. Ao rodar no console a resolução de saída será de 1080p graças a um componente conhecido como Scaler. Ele é o responsável por redimensionar uma imagem em resolução mais baixa para a resolução de saída, 1080p. Nesse caso, embora o resultado final de Dead Rising 3 esteja em 1080p, o jogo roda internamente a 720p. E embora a qualidade do Scaler tenha um impacto direto no resultado final uma imagem redimensionada não tem a mesma qualidade que a original (nativa).

Mas porque essa diferença entre os consoles?

Porque Thief roda em 1080p no PS4 e em “apenas” 900p no Xbox One? E porque até os jogos exclusivos do console como Dead Rising 3 e Ryse: Son of Home não atingem a resolução nativa de 1080p? Existe muitas teorias por trás dessa diferença. Mas primeiro é importante entender os fatos:

Fato #1: o PlayStation 4 tem uma capacidade de processamento gráfico maior do que a do Xbox One

Preste atenção nessa afirmação. Ambos os consoles têm uma arquitetura muita parecida (baseada na x86) e inclusive usam uma CPU customizada baseada no mesmo núcleo (Jaguar da AMD). Duas das grandes diferenças entre os consoles são a arquitetura de memória e o processador gráfico. Sem entrar em grandes detalhes técnicos (quem sabe em um outro artigo?), o processador gráfico do PS4 é simplesmente mais poderoso do que o existente no Xbox One. Ou seja, de maneira geral o PS4 é capaz de processar mais e de forma mais rápida.

Fato #2: o PlayStation 4 tem uma arquitetura de memória mais simples (e fácil de trabalhar) do que o Xbox One

Hoje, é relativamente mais fácil lidar com o gerenciamento de memória no PS4 do que no Xbox One. A arquitetura de memória dos consoles é diferente: enquanto a Sony optou por um pool de memória unificado enquanto que a Microsoft resolveu adicionar uma memória um pouco mais lenta (DDR3 contra DDR5 do PS4) compensando a velocidade de acesso com uma memória integrada (e extremamente rápida) de 32MB (conhecida como eSRAM). Fato é que hoje, com o SDK fornecido pelas duas empresas, é mais fácil lidar com a memória unificada do PS4 do que com a do Xbox One que tem como complicador a eSRAM.

Fato #3: o Xbox One não tem uma GPU “secreta” e o DirectX 12 não fará milagres

Um boato na Internet as vezes toma uma proporção tão grande que muitos começam a defendê-lo como se fosse verdade absoluta. Um bom exemplo é a questão da GPU (processador gráfico) “secreta” supostamente existente no Xbox One. Não, o Xbox One não tem uma GPU secreta. Além disso o DirectX 12, visto por muitos como o salvador da pátria, não fará milagres (teremos mellhorias e otimização para multiplos processadores a partir de 2015).

Bom, com base nos fatos acima, minha opinião é que embora esses fatores colaborem eles não explicam totalmente essa dificuldade em se atingir 1080p em alguns jogos no console da Microsoft. Esse é apenas o início da vida útil dos consoles e muita coisa ainda vai evoluir. Um dos principais responsáveis (talvez o grande responsável) por essa diferença é o kit de desenvolvimento, também conhecido como SDK (Software Developer’s Kit). O SDK é como qualquer outro software que você tenha instalado em seu computador; a primeira versão geralmente contém bugs e está longe de ter todas as funcionalidades desejadas pelos desenvolvedores. Além disso essas primeiras versões do SDK não são otimizadas.

Outro ponto importante: os desenvolvedores precisam de tempo para serem capazes de tirar o máximo de um hardware. Esse conhecimento vem com a experiência. É por isso que a primeira leva de jogos para um console recém lançado dificilmente impressiona.

Então para mim os três principais fatores para essa diferença de resolução entre os consoles são: SDK imaturo e pouco otimizado, arquitetura de memória não convencional (Xbox One) e inexperiência dos desenvolvedores. Nos próximos meses tanto Microsoft quanto Sony vão lançar novas versões dos seus respectivos SDKs com mais recursos e maior otimização. Além disso, os desenvolvedores do lado do Xbox One já serão capazes de lidar de forma otimizada com a arquitetura de memória um pouco diferente do console. A tendência é que os desenvolvedores tenham mais facilidade para alcançar a resolução nativa de 1080p no console da Microsoft nos próximos meses.

Realmente importante?

Você está buscando a maior resolução possível? Então esqueça ambos, Xbox One e PS4! Afinal porque se preocupar com 1080p se você pode conseguir quatro vezes mais com a resolução 4k em um PC? Isso contando que você tenha o dinheiro para gastar, claro!

No final das contas a diferença entre uma versão 900p (ou até mesmo 720p) e outra 1080p é muitas vezes imperceptível (a não ser que você jogue grudado na tela!). Você já reparou como boa parte dos comparativos dos jogos são com imagens aproximadas (zoom)? Pois é, talvez porque em condições normais seja bem mais difícil ver tais diferenças…!

Infelizmente chegamos ao ponto de querer saber se Towerfall ou Plants vs Zombies estão rodando em 1080p. Titanfall para Xbox One roda em 792p enquanto Super Mario 3D World para o Wii U roda em 720p. Dois ótimos jogos que provam que a resolução não define a qualidade de um jogo.

Agora será que podemos deixar de lado essa discussão (inútil) sobre resoluções e simplesmente curtir os jogos?

Tags

Sobre: André Machado

André Machado é um gamer hardcore, desenvolvedor na Ubisoft Montreal, blogger, youtuber e ex-stargamer. :) Saiba mais sobre o autor.

Confira também...

0 comentários sobre “A guerra das resoluções”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *